Paroquianos de Ipu Celebram a Paixão do Senhor

sábado, abril 19, 2014
Centenas de  católicos lotaram a Igreja Matriz de São Sebastião em Ipu, na tarde de Sexta-Feira Santa, para a  adoração à cruz. O culto religioso celebra a morte e a crucificação de Jesus Cristo e acontece em todas as igrejas.
Em profundo sinal de respeito, piedade e fé, uma multidão de fiéis compareceu a Igreja matriz de Ipu para Celebrar a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. A cerimônia foi presidida pelo nosso pároco, Pe. Nonato Timbó de Paiva, que contou também com a presença do Vigário Paroquial Pe. Elânio Carvalho Alcântara e do Diác. Lucas do Nascimento Moreira. 
 
Como sabemos, nesse dia não se celebra missa em nenhuma parte do mundo. Para esse mesmo dia a Sagrada Liturgia nos orienta que o altar deve estar completamente despido de toalhas, sem cruz e sem velas, recordando a morte de Jesus. Também segue a orientação de que o presidente da Celebração e os ministros ao aproximarem-se do altar deverão fazer reverência por um breve tempo; prostram-se ou ajoelham-se em sinal de uma humanidade rebaixada e oprimida, mas que ao mesmo tempo sabe ser penitente e implora o perdão dos seus pecados.
Quem esteve presente na Celebração de ontem, pode perceber justamente a prática dessas orientações: O Pe. Nonato, juntamente com o Pe. Elânio e o Diác. Lucas entraram em procissão e em silêncio prostram-se diante do Altar que estava completamente sem adornos. Logo em seguida aconteceu a Celebração da Liturgia da Palavra, por meio da qual meditamos e rezamos os textos do profeta Is 52,13-53,12/que fala do quarto canto do Servo de Javé: o justo que morreu pelo povo, da leitura aos Hb 4,14-16;5,7-9/apresenta que Jesus viveu a profundeza da desolação humana, mas por sua obediência foi atendido por Deus.

Por fim, o Pe. Nonato cantou solenemente a Paixão de Jesus, recordando-nos assim o dia em que o próprio Filho de Deus, nascido de Maria como servo de todos, morreu pela remissão de nossos pecados. O dia em que Jesus mostra-se de que jeito ele é Rei e Rei Universal, ao mesmo tempo em que se apresenta como Sacerdote e Mediador único entre Deus e a humanidade. Depois da Oração Universal na qual se faz as grandes preces da Igreja, deu-se prosseguimento a Celebração com o Rito de Adoração da Santa Cruz. Com esse gesto (Adoração da Cruz), adoramos o Senhor e agradecemos seu amor pela humanidade, de tal modo que recordamos também todos os que carregam a cruz da miséria, do desprezo, da indignidade do Tráfico Humano e de tantas outras formas de opressões que maltratam nosso povo. Por meio desse Rito, a Santa Cruz foi apresentada solenemente à comunidade, enquanto se cantou três vezes a aclamação: “Eis o lenho da Cruz, do qual pendeu a salvação do mundo” e todos ficaram ajoelhados por alguns instantes de cada vez. 
Depois cada fiel seguiu em procissão para beijar a Santa Cruz (ato seguido de genuflexão ou inclinação profunda). Como nesse dia não há Missa, aconteceu à distribuição da Sagrada Comunhão. Em seguida, depois da oração sobre o povo, todos saíram em procissão e em silêncio com as imagens de Jesus Morto e Nossa Senhora das Dores até a Igrejinha.

Lembramos que logo mais, às 24h (meia-noite), haverá a Celebração da Vigília Pascal/Benção do Fogo, que começará no Santuário de Nossa Senhora das Graças (Alto da Boa Vista) e seguirá em procissão até a Igreja Matriz.

Galeria de fotos: