Caderno Regional do Jornal Diário do Nordeste destaca Missa do Vaqueiro e Cavalgada de Ipu

terça-feira, janeiro 19, 2016
Adalberto Bezerra dos Santos, de 59 anos
 Com o chapéu de couro na cabeça, o tradicional gibão sobre o corpo (uma espécie de casaco), perneiras de couro sobre as calças, luvas e botas com esporas, além de um pequeno chicote nas mãos, Adalberto Bezerra dos Santos, de 59 anos, morador desta cidade, no norte do Estado, é a imagem do tradicional vaqueiro, figura forte do imaginário nordestino que ainda resiste bravamente às dificuldades impostas à sobrevivência no sertão. 

Tradição


Adalberto e um grupo de amigos acompanham, com expectativa, a realização da 1ª missa em homenagem aos vaqueiros da região e a 6ª Cavalgada de São Sebastião, festejo tradicional que comemora o padroeiro da cidade, e reúne cavaleiros de outros municípios. "É uma festa de bênção para todos os vaqueiros e para quem gosta de montaria. Até crianças participam, mostrando que essa tradição continua sendo passada de pai para filho", disse o vaqueiro.



Tendo à frente o padre Tula, missionário itinerante de Caucaia, a liturgia foi trabalhada dentro do processo de preservação dos aspectos essenciais da cultura do homem do campo, sem perder a identidade e a referência dos ritos da Igreja Católica.



Durante a cerimônia são introduzidos instrumentos regionais como sanfona, zabumba, triângulo, violão, chocalhos e a própria voz, que entoa os cânticos num ritmo que lembra em muito as antigas músicas sertanejas, popularizadas por Luiz Gonzaga. "Há trinta anos fazemos esse trabalho, levando às pessoas essa bandeira da cultura para que sejam guardados e preservados os valores culturais do nosso povo e da nossa gente", afirmou o padre.

De acordo com Sérgio Rufino, prefeito de Ipu, esse tipo de festejo não reúne apenas os vaqueiros ou simpatizantes, mas também um pouco da cultura nordestina, suas tradições e religiosidade. "Eu acho que é o fortalecimento da cultura que o tempo e a globalização têm afastado muito. Nossas origens, dos nossos avós, têm sido esquecidas ao longo dos anos", disse.

Café reforçado


Após a missa de bênção dos vaqueiros e um café da manhã reforçado para enfrentar a estrada, dezenas de cavaleiros iniciaram a cavalgada por algumas ruas e avenidas da sede da cidade e seguiram por uma estrada vicinal, até o Sítio São Mateus, no distrito de Lagoa Velha, cerca de 13 quilômetros de percurso. Apesar do tempo nublado, não choveu durante o evento.





Diário do Nordeste
Fotos: Ipu Notícias