MESC de Ipu faz peregrinação para a Porta Santa em Varjota

sábado, fevereiro 06, 2016

Os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão de nossa Paróquia ( São Sebastião), realizaram na manhã deste Sábado, dia 06, uma peregrinação para a Paróquia de Senhora Sant`Ana, em Varjota, tendo à frente o nosso Pároco Pe. Raimundo Nonato Timbó de Paiva e o Vigário Paroquial Pe. Lucas do Nascimento Moreira.

 A peregrinação para a Paróquia de Varjota faz parte da programação do Ano Santo da Misericórdia, iniciado no dia 08 de Dezembro/2015, Solenidade da Imaculada Conceição, na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Para uma melhor vivência deste Ano Santo, o Papa Francisco estabeleceu que em cada Igreja particular, abra-se igualmente uma Porta da Misericórdia, deste modo, cada Igreja particular estará diretamente envolvida neste forte momento extraordinário de graça e renovação espiritual. Neste sentido, o Jubileu da Misericórdia será celebrado, quer em Roma, quer em cada Diocese, Regiões Episcopais e em nossas Paróquias.

Nesta perspectiva, o Ano Santo é uma oportunidade para aprofundar a fé e viver com renovado empenho o testemunho cristão. Portanto, cada fiel que passar pela Porta Santa durante este Ano Santo, cumprindo as exigências da Igreja, poderão obter indulgências. Oficialmente ficou estabelecido pelo Santo Papa, que cada fiel em suas respectivas Paróquias poderá receber as Santas Indulgências pelo menos duas vezes ao ano; no dia da Festa do Padroeiro (a) e no dia do Perdão de Assis (02 de Agosto) ou realizando peregrinações para uma Porta Santa previamente determinada, de acordo com as determinações pastorais de cada Diocese. Em nossa Diocese, ficou estabelecido que além da Catedral (Sobral/sede de nossa Diocese), também em cada Região Episcopal poderia abrir uma Porta Santa; no nosso caso, Região Episcopal Araras, a Paróquia escolhida para bênção da Porta Santa foi a Matriz de Senhora Sant`Ana, em Varjota. 

 Por dentro da Notícia

O Papa Francisco esclarece o significado profundo da indulgência, na Bula O Rosto da Misericórdia, nº 22: “ apesar do perdão, carregamos na nossa vida as contradições que são consequências dos nossos pecados. No sacramento da reconciliação, Deus perdoa os pecados, que são verdadeiramente apagados, mas o cunho negativo que os pecados deixaram nos nossos comportamentos e pensamentos permanece. A misericórdia de Deus, porém, é mais forte também do que isso. Ela torna-se indulgência do Pai, que através da esposa de cristo, alcança o pecador perdoado e liberto-o de qualquer resíduo das consequências do pecado, habilitando-o a agir com caridade, a crescer no amor em de cair no pecado.”

Galeria de fotos: