5 Milagres Eucarísticos incríveis

sexta-feira, julho 29, 2016


Os católicos creem que Jesus Cristo verdadeiramente e substancialmente presente na Santa Eucaristia. E há muitas histórias de milagres eucarísticos ao longo da história da Igreja que parecem confirmar esse importante ensinamento.
É importante sinalizar que nenhum católico é obrigado a acreditar em qualquer destas histórias. Mesmo que tenham sido investigadas e aprovadas pela Igreja, ela não dá nenhuma garantia absoluta para a sua autenticidade. Tão pouco o dogma católico da transubstanciação depende da autenticidade destas histórias; este se baseia totalmente na Escritura e na Sagrada Tradição.
1) Milagre de Lanciano – Século VIII
Public Domain / Wikipedia
No século VIII, um padre em Lanciano, Italia, estava sendo tentando a ter dúvidas a sobre a presença real de Jesus na Eucaristia. No meio de uma missa, enquanto dizia as palavras da consagração (Este é o meu corpo e este é o meu sangue), viu o pão se transformar em carne humana e o sangue se coagulou em cinco glóbulos (acredita-se que por causa das cinco chagas de Cristo). A notícia do milagre se estendeu rapidamente, o arcebispo do local iniciou uma investigação, e a Igreja aprovou.
A carne está conservada até os dias de hoje. O professor de anatomia Odoardo Linoli levou a cabo uma análise científica da carne em 1971 e chegou a conclusão de que a carne era tecido cardíaco, o sangue parecia ser sangue fresco e não havia rastro de conservantes.
É possível visitar a carne e o sangue milagroso na Igreja de São Francisco de Lanciano, Itália.
Public Domain / Wikipedia
2) O corporal de Bolsena – Século XIII
Paolo C. / Flickr
Um sacerdote que estava duvidando sobre a transubstanciação estava celebrando uma missa em Orvieto, Itália. Pouco depois da consagração, a hóstia começou a sangrar sobre o corporal (um pano litúrgico) no altar. A história ficou conhecida e o sacerdote se encontrou com o Papa que estava visitando sua cidade e confessou seu pecado da dúvida. Atualmente, este corporal se mantém em exibição na Catedral de Orvieto.
Alguns historiadores, porém, duvidam da veracidade da história, porque os primeiros registros deste feito não aparecem até uns cem anos depois do suposto milagre. Entretanto, o corporal segue sendo um objeto de veneração.
Steve Moses / Flickr
3) A hóstia de Siena, Itália – Século XVIII
via meconferencesc.net
O 14 de agosto de 1730, enquanto os católicos de Siena, Itália assistiam a um festival especial para a véspera da festa da Assunção, alguns ladrões entraram na Igreja de São Francisco e roubaram uma âmbula de ouro que continha centenas de hóstias consagradas.
Dois dias depois, alguém notou que algo branco estava saindo de uma caixa de ofertório em outra Igreja de Siena. Os sacerdotes abriram a caixa e encontraram as hóstias perdidas, no meio de teias de aranhas e sujeira. Depois de limpá-las o máximo possível, as hóstias foram colocadas em uma ambula e foram levadas de novo para a Igreja de São Francisco para as orações de reparações e veneração.
As hóstias estavam muito sujas, os sacerdotes decidiram não consumi-las, mas simplesmente deixar que se deteriorassem. Depois de algumas décadas, todos se surpreenderam ao verem que as hóstias não se deterioraram, pelo contrário, pareciam bastante frescas.
As hóstias estão intactas até hoje, mais de dois séculos depois, e podemos contemplar na agora Basílica de São Francisco, em Siena, Itália.
4) O milagre de Chirattakonam, India – Século XXI
via guadalupehousehi.blogspot.com
5) O Milagre Eucarístico de Santarém – Século XIII
via miraclesofthechurch.com
Uma mulher vivia em Santarém, Portugal, no século XIII e estava angustiada porque suspeitava que seu marido era infiel, por isso, decidiu se consultar com uma bruxa na busca de ajuda. A feiticeira disse que seu serviço custava uma hóstia consagrada.
Ela foi a missa na Igreja de Santo Estevão e recebeu a Eucaristia em sua língua, tirou da boca, envolveu em seu véu, e se dirigiu a porta da Igreja. Para sua surpresa, e antes de sair do templo, a hóstia começou a sangrar.
Ainda assim, ela foi com a hóstia sangrando até a sua casa, quando chegou em casa o guardou num baú. Nessa noite, uma luz milagrosa emanava do baú. Ela se arrependeu do que havia feito e na manhã seguinte confessou ao seu padre o que tinha feito. O sacerdote foi a sua casa e reconduziu o santíssimo sacramento de novo ao templo.
Depois de uma investigação e da aprovação do milagre, a Igreja passou a chamar-se Igreja do Santo Milagre, e a hóstia que sangra pode ser vista até os dias atuais.
Fonte: ChurchPop