Há 4 anos, Bento XVI anunciava sua renúncia

sábado, fevereiro 11, 2017
Na manhã do dia 11 de fevereiro de 2013, Bento XVI anunciava ao mundo sua renúncia ao Pontificado. 

A decisão de renunciar ao cargo de líder da Igreja Católica o tornou o primeiro Papa a abdicar, depois de Gregório XII, em 1415, que o fizera durante o Grande Cisma do Ocidente. Bento foi o primeiro a renunciar sem pressão externa desde o Papa Celestino V, em 1294. Este foi um gesto inesperado, já que na história moderna os papas se mantiveram no cargo até a morte, para que só então fosse escolhido um sucessor. 

O motivo principal da renúncia de Bento XVI foi a sua saúde. Assim, o Conclave de 2013 elegeu seu sucessor: o Papa Francisco.

Bento XVI havia anunciado a sua intenção de renunciar, falando em língua latina, na Sala do Consistório, no Vaticano, durante um encontro, na manhã do dia 11 de fevereiro de 2013, para anunciar a canonização de três mártires católicos, Antônio Primaldo e companheiros, Laura Montoya Upegui, e Maria Guadalupe Garcia Zavala. Durante o "Consistório para a canonização do mártires de Otranto", ele disse aos presentes que havia tomado "uma decisão de grande importância para a vida da Igreja".

Em um comunicado, Bento XVI falou da sua fragilidade, devido à idade avançada, e das exigências físicas e mentais do papado. Ele também declarou que iria continuar a servir a Igreja "com uma vida dedicada à oração".

Em 17 de fevereiro de 2013, falando em espanhol, durante a Audiência Geral, na Praça de São Pedro, Bento XVI pediu orações dos fiéis para si e para o novo papa.