“COMUNHÃO E PARTILHA” MANTERÁ AJUDA À FORMAÇÃO DE 395 SEMINARISTAS DE 46 DIOCESES EM 2021

março 11, 2021

A Comissão Episcopal para a Comunhão e Partilha da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) encontrou-se nesta quarta-feira, 11 de março, em sua segunda reunião do ano com o objetivo de fazer o planejamento da liberação dos recursos em 2021.

A primeira reunião do ano aconteceu dia 4 de fevereiro e focou na avaliação do projeto em 2020. No ano passado, mesmo com o contexto da pandemia, foram arrecadados R$ 3.089.000,00, distribuídos em 10 parcelas mensais de cerca de R$ 309.000,00 à 46 dioceses do Brasil. O total permitiu apoiar a formação de cerca de 400 seminaristas na filosofia e teologia. 

Em 2021, mesmo com a pandemia, a comissão estima atender o pedido de 46 dioceses, o que vai permitir a formação de quase 395 seminaristas. O bispo de São José dos Campos (SP) e presidente da Comissão Episcopal para a Comunhão e Partilha da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom José Valmor Cesar Teixeira, explica que a pandemia não afetou a solidariedade na Igreja no Brasil e o número de dioceses atendidas deve manter-se o mesmo do ano passado.

Participaram da reunião, os membros da comissão: o bispo de São José de Campos (SP), dom José Valmor Cesar Teixeira (presidente), o bispo de Formosa (GO), dom Adair José Guimarães, o bispo de Corumbá (MS), dom João Aparecido Bergamasco e representantes da CNBB, o bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral, dom Joel Portella Amado, o subscretário-adjunto geral, padre Dirceu de Oliveira Medeiros, o ecônomo monsenhor Nereudo Freire Henrique, e o assessor político e assessor do projeto padre Paulo Renato.

Como funciona o projeto Comunhão e Partilha

O projeto “Comunhão e Partilha” foi aprovado em 2012 na 50ª Assembleia Geral da CNBB, como uma resposta concreta do episcopado brasileiro às celebrações dos 50 anos do Concílio Vaticano II. É financiado com a contribuição mensal de 1% da renda ordinária das dioceses com melhores condições financeiras para a formação de seminaristas de filosofia e teologia de dioceses com menos recursos. Proposto por cinco anos o projeto teve seu prazo estendido por mais cinco em votação unânime pelos bispos na 55ª AG em 2017.

As dioceses que recebem a ajuda são divididas em três grupos: A, B e C. O grupo A reúne as dioceses que possuem renda de R$ 10 mil reais. Estas recebem dois salários mínimos por seminarista. Já o grupo B agrupa as dioceses que conta com renda mensal de até R$ 20 mil reais; e o grupo C é formado pelas dioceses com renda de até 30 mil reais.

Dioceses beneficiadas pelo projeto “Comunhão e Partilha”

Ano                     Dioceses            Seminaristas
2012                      36                          110
2013/2014           44                          264
*2015                   48                          333
2016                      52                          403
2017                      48                          393
2018                     49                           431
2019                     47                           447
2020                     46                          400

*2015 é uma média pois o projeto não tem os dados atualizados.

FONTE: CNBB 

https://www.cnbb.org.br/260417-2/