CAPELAS DA SERRA

 Capela de Baixa Larga

A capela de baixa larga deu início as suas atividades por volta dos anos de 1978, terreno doado pelo senhor Paulo Gaspar que fica situado no centro da localidade.  

A capela tem como padroeiro São Francisco de Assis e nossa senhora de Fátima, teve como primeiro organizador o senhor Joaquim Sebastião, Que por muitos anos zelou pela capela. 

Por volta dos anos 2000 houve mudanças de padres na nossa paróquia assumindo como pároco, padre Nonato, ele sugeriu uma reforma na capela. 

No ano de 2002 a capela precisou de uma reforma então deu início às suas obras, foi decido demolir toda estrutura antiga para realizar a construção de uma nova, para a melhoria da mesma. Com muito trabalho e dedicação conseguimos deixar a capela do jeito que nossa comunidade sonhava.

Como nossa capela é considerada como centro de encontro para as comunidades vizinhas, passou a receber alguns eventos como: crisma, tríduo Pascal, e reuniões. 

Hoje somos uma comunidade católica viva e cheia de fé, graças aos nossos padres que ao máximo se empenham sempre trazendo o diálogo e procurando inovações.

Capela de São João

Localizada na região serrana do município de Ipu, nossa capela surgiu de um sonho, de uma grande vontade da comunidade, porque compreenderam a necessidade que termos um templo religioso em nossa comunidade, pois as outras capelas de nossa região ficavam distantes e nem todos podiam se locomover para participar das Santas Missas.

O terreno foi doado pelo Sr. João Viana e sua esposa, Fransquinha Viana, que foi uma das maiores incentivadoras para que essa conquista fosse realizada, muito religiosa, devota de nossa senhora, ela tornou ministra de nossa capela.

A primeira missa foi realizada embaixo de uma árvore no terreiro da cozinha de Dona Fransquinha Viana, ocorreu a primeira eucarística de seis crianças, todas da mesma família, presidida pelo então pároco, Monsenhor Moraes, no ensejo houve uma reunião para comunicar a todos o inicio da construção da capela.

A Capela de São João foi toda feita de doações, alguns doavam madeiras, outros doavam telhas, cimentos e cada morador doava um dia de trabalho para vê este sonho realizado, fazíamos leilões para arrecadar fundos.

Fundada em 24 de junho de 1995 com uma grande missa solene em comemoração ao sonho realizado, a missa foi celebrada por Monsenhor Moraes.

Desde então a capela vem passando por várias reformas perdendo um pouco do seu modelo original.
É com grande alegria que até hoje a comunidade se reúne para ouvir e refletir sobre a palavra de Deus, participar da celebração das Santas Missas,  não mais com a grande fundadora que nos deixou para morar com cristo.

Hoje quem está responsável por nossa capela é a Tânia Maria Martins, que sempre conta com a ajuda das pessoas de nossa comunidade para a honra e glória de nosso Senhor Jesus Cristo. 

Capela de Várzea do Giló

Inicialmente a capela da Várzea do Giló festejava São João Batista em consideração ao coronel João Bandeira que residia na localidade após alguns anos foi escolhida Nossa Senhora de Fátima como padroeira da comunidade.

Monsenhor Morais celebrou uma missa solene quando do lançamento da pedra fundamental no final dos anos 54, onde na oportunidade tivemos uma doação do senhor Antonio Mariano, pai do conceituado médico, Dr. Cacá.

Finalmente foi edificada uma capela simples e humilde, registramos que tivemos a graça de recebemos à imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, no dia 8 de setembro de 1955.

A imagem do altar central foi doada pelo casal de senhores: José Metom e sua esposa Dona Maria de Fátima Metom.

Em 31 de maio de 1958 ocorreu a primeira coroação em homenagem a Santa padroeira desta capela.

Após os festejos de maio 1999 tivemos a entronização do santíssimo sacramento em nossa capela.

Dia 31 de maio sempre ocorre a tradicional coroação de Nossa Senhora, lembramo-nos do senhor Raimundo Lapinha que era responsável pela realização deste momento mariano, depois passou a função para as irmãs Sabatina Ferreira e Raimunda Ferreira.

Em nossa capela tivemos como ministros da sagrada eucaristia: Antônia Araújo Joca (Antonieta) que ainda hoje desempenha esta função; Helena Bezerra de Sousa, Luiza Alves Pereira, Raimunda Rodrigues Bandeira, Regiane Martins Paulino e Maria Aline Martins Paulino.

A comunidade de Várzea do Jiló acolheu recentemente mais três novos ministros da Sagrada Eucaristia: Inácio Farias de Sousa, Iara lobo Farias e Dione Alves da Silva.

A capela da Várzea do Giló festejou ainda Nossa Senhora das Graças no período de 2009 a 2017. Hoje temos como co-padroeiro São Miguel Arcanjo, festa que teve início no ano de 2018.

Nossa capela vem passando por grandes reformas internas e externas para melhorar o acolhimento da comunidade cristã de nossa paróquia.

Comunidade de Mato Grosso.

Nossa comunidade serrana de Mato Grosso ainda não tem capela, mas já vivenciamos o estudo dos sacramentos com a catequese infantil e de crisma; Procuramos cumprir os tempos litúrgicos como a quaresma, as novenas de natal, terços no mês de maio e outros momentos religiosos.

No ano de 2016 passamos a ter em nossa comunidade todos os meses a celebração da santa missa, uma decisão de nosso pároco na época, padre Raimundo Nonato.

Em nossa comunidade foi implantada a pastoral do dízimo, temos como padroeira Santa Terezinha do Menino Jesus em breve se Deus quiser vamos começar a construção de nossa capela em honra a Santa Terezinha.

Comunidade de Barra da Ingazeira.

Em que ano a Capela foi Fundada?

A capela foi fundada no ano de 2000, teve como grande mentor o senhor conhecido como Toto, que buscou patrocínios de varias pessoas para a construção. E esse sonho se concretizou com a ajuda da comunidade e do pároco da época, Pe. Raimundo Nonato.
Os doadores do terreno foram Raimundo Lopes, Dona Cesária e Raimundo Lopes.

Como surgiu os Apelidos de Cachimbo, Morada Nova e Barra da Ingazeira?

O Apelido se deu por conta que na época, durante os velórios tinham dois irmãos gêmeos chamados: Dáda e Cosme, eles costumavam se juntar nos velórios para fumarem cachimbo, e assim acabou incentivando varias pessoas a fazerem o uso de cachimbo, e por esse fato ter ocorrido por diversas vezes, o nome se tornou popular. 

O apelido de Morada Nova se deu por conta que um morador chamado Raimundo Pinto, comprou um terreno e construiu sua casa, em frente a casa colocou uma placa com a Frase ‘’Morada Nova’’ e se tornou um apelido para a comunidade.  

Mas no cartório é registrado como Barra da Ingazeira, somos uma comunidade vizinha à localidade de Ingazeira, e existe como que uma barra dividindo as duas localidades, por isso o nome surgiu BARRA DA INGAZEIRA.

Os Primeiros Coordenadores?

Tivemos como primeiras coordenadoras: Socorro Pinto e Diolinda, nos dias atuais a comunidade é coordenada pelo conselho da capela, na qual trabalhamos em conjunto para a melhoria e o crescimento da comunidade.

Quem escolheu o nome da Padroeira da Comunidade e sua primeira Missa?

O nome da Padroeira que é Imaculada Conceição foi decidido através de uma reunião com os membros da comunidade, juntamente com o Padre Raimundo Nonato Timbó e o seu Toto. A primeira Missa na comunidade foi em um colégio que atualmente está desativado, nesse dia foi grande a festa, teve presença de Freiras, padres e a comunidade.

Capela Sagrado Coração de Jesus - Ingazeiras

Iniciou-se a construção desta capela no ano de 1922, em um terreno doado por Pedro Camelo da Silva, o mesmo iniciou à construção da capela com a ajuda de sua família e demais pessoas que faziam parte da pequena comunidade.

Inclusive o esforço era tamanho que as pessoas carregavam pedras na cabeça para a edificação de nossa capela.

Foi escolhido como padroeiro desta capela o Sagrado Coração de Jesus, comemoramos os festejos no mês de setembro. 

Hoje temos um conselho presidido por Maria Dalva Camelo e seguimos o trabalho de evangelização, acolhendo as indicações de nossos padres.

Fazemos o que está ao nosso alcance como evangelizadores de Jesus, para trazer o amor, a fé e a união para toda nossa comunidade.

Capela Nossa Senhora de Fátima de Estivado

A Capela de Nossa Senhora de Fátima começou em meados dos anos 94, mais precisamente no mês de agosto. 

Através da aparição de Nossa Senhora surgiu a necessidade de catequizar as famílias, por isso nasceu a casa de oração São Raimundo que teve como fundador o senhor Raimundo Nobre e sua família. Iniciou - se em uma garagem que depois veio a ser transformada em uma capela, onde Nossa Senhora de Fátima foi escolhida como padroeira. 

A Primeira missa foi celebrada no dia 15 de dezembro de 1998, pelo Padre Monsenhor Morais. Em 15 de  julho de 2000  Padre Raimundo Nonato instituiu o santíssimo sacramento. Como ministros da Sagrada comunhão: Vera Nobre e Manoel Messias Timbó. 

A Primeira festa em honra a Nossa Senhora de Fátima ocorreu em dezembro de 2000. Em 2011 foi reformada e em 2017 foi feita a sua torre. Em 2018 foi constituído o conselho. 

Após o Falecimento do fundador Raimundo Nobre, responsabilizaram - se pela capela a Senhora Vera Nobre e sua Filha, Cristianne Nobre juntamente com o conselho.

Comunidade de Santana 

No ano de 2016, Lucilane juntamente com sua família, a ministra da eucaristia, Dona Iraneide e a comunidade viram a necessidade de construirmos uma capela.

A escolha do nome da padroeira; Santana, foi uma sugestão de Pe. Nonato, por conta do nome da comunidade, o terreno da capela foi doado pelo Sr. Luiz Pereira mais conhecido como Luizinho.

No dia 24 de janeiro de 2016 aconteceu a primeira missa na residência do casal Aparecida e Evandro tendo como celebrante Padre Nonato Timbó, com o passar do tempo às celebrações passaram a ocorrer na sede do sindicato dos trabalhadores, pois é um espaço mais amplo onde acolhe também os encontros de catequese, terço dos homens e os demais grupos.

Em julho de 2018 foi formado o conselho da futura capela, com o incentivo de Padre João e Padre Fabio aconteceu a primeira festa de padroeira, um Tríduo em honra a Santana.

Em uma reunião com a presença de Pe. João e o conselho da comunidade decidimos que daremos inicio no dia 01 de junho deste ano (2020) a construção de nossa capela, desde já agradecemos aos dizimistas, terço dos homens, conselho e toda a comunidade de Santana pelas ajudas.

E que a cada dia a nossa comunidade cresça na fé! 
Santa Ana Rogai por nós!

Ainda temos na região serrana as capelas de Santo Onofre, São Cristovão, Olho D'água dos facundos e São José dos Martins.